Amigos seguidores..

terça-feira, janeiro 25, 2011

0

A gravidez e nossos animais de estimação


    Uma dúvida muito freqüente surge quanto na presença 
de uma mulher grávida: devemos “sumir” com os animais 
de estimação que vivem no mesmo ambiente? E a resposta
 é simples: de jeito nenhum! Essa dúvida ocorre 
principalmente em relação aos gatos. Isso porque acredita-se 
que o gato seja um importante transmissor de uma doença 
chamada toxoplasmose.
Realmente, a toxoplasmose pode ser uma doença grave
 em pessoas que não tenham uma resistência 
natural a ela, principalmente em gestantes, pois
, pode levar à contaminação do feto, podendo até 
causar aborto, má formação e morte fetal. Portanto,
 uma mulher 
gestante deve sempre tomar os devidos cuidados para
 evitar o contagio com essa doença.
Mas quem possui animais de estimação em casa, 
inclusive gatos, pode ficar sossegado, pois eles não
 são uma importante fonte de transmissão dessa 
doença. O contagio da doença pelo contato direto, 
como tocar e acariciar o animal, é improvável, 
assim como por meio de mordidas ou arranhões.
Na verdade, as principais vias de contaminação são 
pela ingestão de alimentos ou água contaminados 
por fezes ou a ingestão de carne crua ou mal cozida,
 contento cistos do parasita. Também pode ocorrer
 a infecção ao se colocar as mãos ou objetos
 contaminados
 na boca.
Como os gatos podem ser portadores sãos do parasita, 
ou seja, possuem o parasita em seu organismo mas não 
manifestam sintomas, e suas fezes podem conter ovos 
do parasita (apesar de que raramente), precisamos 
tomar cuidado com o contato direto aos ambientes 
onde eles defecam. Tome cuidado, portanto, ao 
manusear as bandejas de areia e jardins ou outros 
locais onde os gatos possam defecar.

  Entretanto, outras doenças podem ser transmitidas
 para a gestante ou para o bebê, como as micoses 
e as verminoses. Para que isso não aconteça, 
obviamente devemos manter os nossos 
animais vacinados e desvermifugados periodicamente
 e, sempre que adoecerem, levá-los ao veterinário. 
Mesmo quando for um simples “probleminha”, não 
deixe de procurar ajuda especializada, pois esse 
“probleminha” pode na verdade ser um “problemão”. 
Com isso teremos animais sempre saudáveis e 
felizes sem o risco de transmitir doenças às 
pessoas, estejam elas grávidas ou não.

Nenhum comentário: