Amigos seguidores..

quinta-feira, maio 19, 2011

3

O cão e o bebê, o que fazer?

  Aqui em casa, depois da chegada da Brenda, aconteceu algumas mudanças com minha cachorrinha Mel, ela estranhou um pouco, ficou correndo pra lá e pra cá, em cada chorinho da Brenda, ela vinha avisar, queria estar perto o tempo todo.....
Também ficou sem comer e emagreceu, não queria nada, só estar perto de nós, e a cada visita que chegava ela ia encontrar, e até latir pra elas ela latia, coisa que antes não fazia. Mas agora depois de 1 mês graças...ufa, tudo voltou ao normal, ela voltou a se alimentar, não estranha mais o bebê, só tem uma coisa, agora a cada visita ela tem que ir perto pra receber carinho...no mais ela é uma fofa, também acha que a Brenda é um filhotinho...hehehehe
 

De repente, tudo está diferente. Ninguém lhe faz carinho e os passeios se tornam raros. É assim que seu cãozinho se sente quando um bebê passa a fazer parte da família. Alguns deixam de comer, outros se escondem. Há aqueles que, para marcar território, fazem xixi pela casa. Felizmente, o problema tem solução. "O ideal é fazer as adaptações antes da chegada do bebê", diz o veterinário Henrique Branco, de São Paulo. Aprenda:

Antes da chegada do bebê:· Esfrie um pouco. Gradativamente, diminua a atenção dispensada ao bicho. Ele vai aprender a lidar com a frustração e, quando o bebê chegar, não ficará triste se não receber carinho.
· Restrinja o acesso. Se o cão tiver acesso à casa toda e você quiser restringir sua entrada apenas no quarto do bebê, faça isso o quanto antes. Quando ele entrar diga "não", coloque-o fora do quarto e diga "fica" de forma enérgica - nunca feche a porta para impedir sua entrada.
· Espalhe cheirinhos. Associar o cheiro da criança a coisas boas aumenta as chances de boa convivência. Por isso, deixe pedaços de pano perto das roupinhas do futuro bebê e, assim que o cheirinho estiver impregnado, coloque-o em locais de acesso do cachorro.
· Atualize as vacinas. Coloque todas as vacinas e vermífugos do seu amigo em dia. Leve-o ao veterinário para verificar se está tudo bem.

Quando a criança chegar:· Faça a apresentação. Apresente o bebê ao cachorro. Deixe-o cheirar os pés e a manta. Nesse contato, o cão reconhecerá seu cheiro.
· Prestigie o cão. Não deixe seu amigo sentir-se abandonado. Mantenha sua rotina como antes. Por exemplo, se você levava-o para passear e agora não pode mais, peça para alguém fazer isso.
· Torne-os amigos. Na presença da criança, ofereça petiscos e dê carinho, para que o cão não entenda que está na companhia de um concorrente.
· Tenha cuidado! Por mais manso que seja seu amigão, nunca deixe-o sozinho com a criança.





Publicado em 04/11/2008
Bruna Menegueço

3 comentários:

Mulheres INDO disse...

nosssa que lindo seu depoimento, quero dizer parabéns pelo seu beber.
vou sempre ver seu blogs e ver suas postagem, vc gosta muito de animais ? vc trabalha cuidando deles?

fica na paz desse DEUS tremendo.

mulheres INDO

Mulheres INDO disse...

ESQUECE DE ESCREVER, VC N FALOU MUITO N KKKK.
ABRAÇOS DAS MULHERES INDO

Nil Lima da Silva disse...

Oi Caci querida, boa postagem pra quem vai passar pela situação que você passou.
Isso aconteceu com uma amiga minha.
a cachorrinha dela a Pingo, morreu de tristeza depois que o bebe nasceu.
Ela começou a amoar num canto, não comia, não levantava quando chegava visita, as vezes ia no banheiro na hora do banho do bebe e só. Levaram no veterinário e ele disse tudo isso que você postou aqui e que a Pingo estava com um comportamento auto destruitivo e alguns orgãos como rins e aparelho digestivo já estavam se comprometendo, medicou, a conselhou mas não teve jeito ela morreu antes do bebe completar 3 meses. Foi uma tristeza...
Um abraço querida Caci e que bom que você não abandonou sua amiga.
Bjs